Sexta-feira, 20 de Abril de 2018
Economia

Confiança do consumidor cresce 2 pontos em julho, diz pesquisa

O subindicador de expectativas passou de 51,1 para 52,7 pontos e o subindicador de condições atuais registrou 30,2 pontos em julho contra 27,8 de junho.

Publicada em 16/08/17 as 12:41h

por Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Preços nas compras de supermercado são o que mais têm pesado na vida financeira familiar para 48% dos consumidores entrevistados  (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A confiança do consumidor cresceu dois pontos em julho, atingindo 41,4 pontos, ante 39,4 de junho. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e foram divulgados hoje (16) em São Paulo. A escala do indicador varia de zero a 100.

O subindicador de expectativas passou de 51,1 para 52,7 pontos e o subindicador de condições atuais registrou 30,2 pontos em julho contra 27,8 de junho. Segundo a pesquisa, 81% dos consumidores avaliam negativamente as condições atuais da economia brasileira.

Entre os que consideram o clima econômico ruim, os principais sintomas são desemprego elevado (51%), aumento dos preços (24%) e altas taxas de juros (10%). Ao avaliar a própria vida financeira, 41% dos brasileiros consideram a atual situação financeira como ruim ou péssima e 42% analisam como regular.

Contas para pagar

O orçamento apertado e a dificuldade de pagar as contas são as principais razões para a vida financeira ruim, segundo 37% dos consumidores ouvidos. Os entrevistados mencionam também o desemprego (35%), queda da renda familiar (15%), imprevistos (5%) e perda de controle financeiro (4%).

Os preços nas compras de supermercado são o que mais têm pesado na vida financeira familiar para 48% dos consumidores, o que reflete a corrosão da renda das famílias, que, mesmo com a queda da inflação, ainda não foi recuperada. Também pesam sobre o orçamento o desemprego, citado por 22%, e o endividamento, mencionado por 14%.

Para 72%, houve aumento de preços nos supermercados. O preço da energia elétrica encareceu na opinião de 62%. Também houve a percepção de aumento dos preços de roupas e calçados (50%), bares e restaurantes (46%), telefone fixo (44%) e nas tarifas de combustíveis (41%).

Edição: Kleber Sampaio



Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.







Nosso Whatsapp

 (17) 9 8110-4506

Copyright (c) 2018 - Jornal do Cidadão Online Noticias de Barretos e Região - jornaldocidadaoregional@gmail.com Noticias de Barretos Região Diretor Responsável André Luiz Jurídico Dr. Daniel Santos OAB/SP 333.364